Dez sugestões de oração para você viver bem a Quaresma

Pe. Ed Brown - Tradução: Equipe Christo Nihil Praeponere

Abril, 13 de 2022

Se queremos viver uma Quaresma frutuosa e morrer para nossas próprias paixões, a chave da vitória é mergulhar na oração profunda, intensa, fervorosa e constante. Neste texto, confira dez práticas de oração que você pode adotar neste “tempo forte”.

Deus, sempre tão bom, derrama sobre nós a todo o tempo as mais abundantes graças. Sua Igreja, que é chamada seu Corpo místico, faz chover incessantemente sobre nós uma torrente de graças. Isso se manifesta de uma maneira muito especial no ciclo litúrgico da Igreja, mais especificamente nos tempos fortes — tanto o Advento, que leva ao Natal, quanto a Quaresma, culminando na Semana Santa e na solenidade de todas as solenidades, a Páscoa!

Certamente já aconteceu com todos nós de estarmos absorvidos e imersos em tantas atividades — família, sociedade e trabalho — que esses grandes tempos de graça passam por nós como um raio e descobrimos que mal entramos nas profundezas do oceano, do abismo de graças que bate à porta de nossos corações. O livro do Apocalipse nos adverte: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo” (3, 20). O grande Santo Agostinho comenta sobre esta passagem que Jesus é o peregrino que bate e, se não abrirmos a porta, Ele seguirá em frente e nunca mais entrará para nos visitar. Deus não permita que seja assim para nós!

Por isso, apresentamos dez orações específicas que podemos oferecer ao Senhor ao celebrar seu maior ato de amor por todos nós — sua Paixão, Morte e Ressurreição. Para ser franco e direto: se queremos viver uma Quaresma frutuosa e morrer para nossas próprias paixões, a chave da vitória é mergulhar na oração profunda, intensa, fervorosa e constante.

Que esta seja a melhor Quaresma de nossas vidas!



1. Contemple a Jesus na Cruz
Uma forma de oração altamente recomendada por Santo Inácio de Loyola em seus Exercícios Espirituais é a contemplação. Portanto, durante a Quaresma, é bom passar pelo menos algum tempo diante de uma imagem, pintura ou qualquer outra representação de Jesus pendente na Cruz por amor a você e a mim.

Tenha em mente as palavras de Santo Inácio: Jesus morreu por toda a humanidade. No entanto, Ele também morreu por você. Ainda que você fosse a única pessoa no mundo, Jesus teria sofrido as dores mais amargas e agonizantes de sua Paixão e Morte por amor a você e pela salvação de sua alma. Quão precioso você é aos olhos de Deus e quão valiosa é sua alma imortal!


2. Reze a Via-Sacra
Outra oração devocional salutar e eficaz, especialmente propícia no tempo da Quaresma, é rezar a Via Crucis. Em sua paróquia, provavelmente há uma no interior da própria igreja. Basta mover-se devagar, em oração e com o olhar contemplativo, de cada uma das 14 estações para a próxima.

Essa prática pode ser feita de várias maneiras: em um ambiente de grupo conduzido por alguém; individualmente, usando um bom livro (uma das melhores Vias-Sacras foi escrita por Santo Afonso de Ligório); ou simplesmente olhando e contemplando com amor e devoção cada estação e formulando sua própria oração espontânea.

Não é uma má ideia trazer seus pequeninos para participar dessa devoção e ensiná-los a amar Jesus, que nos amou tanto, sofreu e suportou todos esses sofrimentos por amor a nós.


3. Medite sobre as Sete Dores de Maria
“Madonna della Rosa”, por Simão de Pésaro.
Em todos os tempos e lugares, a meditação e contemplação das Sete Dores de Maria podem mover nossos corações a amar Jesus com maior fervor e devoção. Se você não está familiarizado com esta prática, as sete dores de Maria são: 1) a profecia de Simeão; 2) a fuga para o Egito; 3) a perda de Jesus por três dias no Templo; 4) o encontro de Jesus e Maria no caminho do Calvário; 5) a crucificação e morte de Jesus; 6) o corpo de Jesus retirado da Cruz e colocado nos braços de Maria (Pietà); 7) o sepultamento de Jesus.


4. Medite sobre as Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz
Outra meditação poderosa seria sobre as sete últimas palavras de Jesus na Cruz. O Venerável Arcebispo Fulton Sheen escreveu e pregou inúmeras vezes sobre essas palavras, especialmente na Semana Santa. Suas sete últimas palavras são as seguintes: 1) “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23, 34); 2) “Tenho sede” (Jo 19, 28); 3) “Mulher, eis aí teu filho… Filho, eis aí tua mãe” (Jo 19, 26s); 4) “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23, 43); 5) “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” (Mt 27, 46); 6) “Pai, em tuas mãos entrego meu espírito” (Lc 23, 46); e 7) “Tudo está consumado” (Jo 19, 30).


5. Leia e medite os relatos da Paixão nos quatro Evangelhos
Mergulhe nas fontes mais autênticas da Paixão e Morte de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, isto é, a Bíblia, os quatro Evangelhos. Eles podem ser encontrados em Mateus 26-27, Marcos 14-15, Lucas 22-23 e João 18-19.

Você pode ler todos os relatos e rezar sobre eles, observando os diferentes detalhes e pequenas nuances em cada Evangelho.


6. Reze o Salmo 22
“O Escárnio de Cristo”, por Godfried Schalcken.
É realmente fascinante a leitura e meditação do Salmo 22, do Antigo Testamento. Sem sombra de dúvida, este salmo profético destaca muitos dos detalhes da Paixão de Jesus e seus sofrimentos, centenas de anos antes de Jesus nascer. Outra razão para crer na realidade de Jesus ser verdadeiramente o Filho do Pai eterno. Leia este salmo com atenção e você sentirá como se estivesse sendo transportado até os pés da Cruz com Maria, João e Madalena na Sexta-feira Santa.


7. Participe do santo sacrifício da Missa
De longe, a oração mais poderosa, eficaz e agradável que podemos oferecer a Deus é o santo sacrifício da Missa. De fato, o que é a Missa, senão o sacrifício do Calvário, no qual Jesus se oferece ao Pai, pelo poder do Espírito Santo, para a salvação de toda a humanidade? Se possível, assista diariamente à Missa na Quaresma e receba a Eucaristia dignamente e com muito amor e devoção.


8. Assista a bons filmes
Outra forte exortação, no domínio da oração contemplativa, seria ver a um destes filmes, se não todos: “A Paixão de Cristo”, de Mel Gibson; “Marcelino Pão e Vinho” (1955); e “Os Mistérios do Rosário”, de Patrick Peyton (I, II e III). No entanto, coloque suas lentes contemplativas e se esforce para vê-los não tanto como produções de Hollywood, mas como uma oração contemplativa. As imagens, especialmente de “A Paixão de Cristo”, ficarão gravadas em sua memória e poderão ser evocadas na oração quando você for à sua Hora Santa.
O que nos leva à próxima sugestão de viver a mais fecunda Quaresma de nossas vidas…


9. Faça a Hora Santa
“A Crucificação”, por Johannes Stradanus.
Seja generoso com o Senhor Jesus, que deu cada gota de seu Preciosíssimo Sangue por você. Esforce-se, se possível, por fazer uma Hora Santa diária. Fulton Sheen a chamava de “hora do poder”. Idealmente, é melhor fazê-la diante do Santíssimo Sacramento, onde Jesus está real e substancialmente presente em seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Se isso não for viável, então você pode encontrar um lugar tranquilo em sua casa — seu recanto de oração ou santuário doméstico. Essa prática vai transformar sua vida!


10. Recite os Mistérios Dolorosos do Santo Rosário
O Papa São João Paulo II, em sua obra-prima mariana Rosarium Virginis Mariae, sugere que contemplemos o rosto de Jesus através dos olhos de Maria. Que melhor método pode haver para contemplar Jesus, o homem das dores pendente na Cruz, do que através dos olhos de Maria?
Para refrescar a memória, os Mistérios Dolorosos do Rosário são: 1) a agonia no horto das oliveiras; 2) a flagelação na coluna; 3) a coroação de espinhos; 4) o carregamento da cruz; 5) a crucificação e morte de Jesus.
Enfim, é nossa oração e desejo mais ardente que todos os nossos leitores tenham o seu mais fecundo tempo quaresmal, esforçando-se por implementar essas práticas de oração quaresmal, culminando na mais imensa alegria da Páscoa e do Senhor Jesus ressuscitado. Que todos nós morramos para o pecado e ressuscitemos com Jesus e Maria!